Não critique, não despreze: conheça!

1° almoço beneficente

No último domingo, dia 29 de abril, o Restaurante Rancho Caipira Goiano, realizou o 5° Javali no Rolete e destinou 15% do valor arrecadado com a venda de convites (R$212,00) para a nossa Associação Amai Azul.

Comida excelente ao som de ótimos cantores e gente muito bonita!

Autismo não é sinal de insensibilidade

As pessoas têm mania de dizer que autista não tem sentimento... Ontem, aconteceu algo que me emocionou muito. Comentei que a maju não iria poder entrar na internet porque o tablet dela havia quebrado...O victinho ouviu e não falou nada mas depois de uns vinte minutos, ele colocou "thomas e seus amigos" (que ela adora) no note dele, se levantou, foi até onde ela estava e a levou pela mão para assistir! Que coisa mais linda de se ver, os dois irmãozinhos lado a lado, assistindo juntos! #autistaSim_insensívelNÃO #orgulhoDeSer_AmaiAzul

Prestação de contas do mês de abril/2018

PRESTAÇÃO DE CONTAS: A partir de agora, no último dia de cada mês, irei prestar contas de tudo o que recebemos e gastamos no mês. Afim de que haja sempre transparência em nossa luta e que se dissipe qualquer dúvida sobre nossa idoneidade. O objetivo da amai azul nunca foi financeiro nem fins lucrativos. Nossa meta é e sempre será melhorar os atendimentos aos nossos autistas. Não temos vergonha de mostrar o tão pouco e carente é nossa luta. Ao contrário, nos orgulhos pelo fato de, mesmo com o baixo poder aquisitivo, oferecermos um atendimento que poucas instituições tem e o que é melhor, transformarmos, mesmo sem recursos, a vida de mais de quarenta famílias: Abril/2018 Entradas contribuições: 20, totalizando 540,00 festa do sorvete: 635,00 total: 1175,00 Saídas luz: 178,00 água: 98,00 telefone: 153,00 curso de aba: 130,00 sorvetes/investimentos: 450,00 assistente social: 400,00 transporte do freezer: 100 total: 1379,00 valor total: - 204,00

O que é mais importante para seu filho?

Passear, levar ao shopping, etc é muito bom mas não cura autismo. Não desacredite de seus filhos, através das terapias eles poderão evoluir ainda mais e se desenvolver muito. Lute, se esforce o máximo por seu filho pois o futuro é uma incógnita e o que é bonitinho hj, amanhã pode ser regressão. Tantas famílias precisam de atendimento e onde moram não tem. Na amai azul, oferecemos gratuitamente atendimento psicilógico, pedagogia, socialização, psiquiatria com renomado médico Dr Leonardo Maranhão e algumas mães não valorizam, faltam sem dar justificativa e deixam de trazer seus filhos pelos motivos mais banais. Tipo assim, fazer uma unha, ir para a praia, fazer o cabelo, depilação, ao meu ver, não são de forma alguma mais importante do que cuidar do autismo de seus filhos. Os que mais evoluiram, que mais diminuíram as estereotipias, limitações, foram os que não faltam nos tratamentos, pensem nisso.. A negligência de hj pode ser o lamento de amanhã #Odeiocomodismo #lutePelosAutistas

Precisamos Defender Nossos Autistas

#xôHipocrisia Ontem, vieram duas mulheres aqui na Amai Azul, pedir atendimento para uma criança autista. Antes que eu começasse a falar sobre a nossa associação, uma delas me interrompeu e solicitou que eu explicasse como era uma pessoa com autismo. Usando meu filho José Victor, de nove anos como exemplo, comecei a lhe relatar as características e sintomas do Transtorno do Espectro Autismo. E, conforme eu ia falando, lágrimas no seu rosto rolavam sem parar e assim que encerrei a primeira parte de nossa conversa, ela me disse aos prantos: "você acabou de descrevê-lo" Percebendo a aflição dela, ressaltei o lado bom do autismo, o quanto meus filhos haviam se aprimorado. Mostrei o vídeo da Maria Julia dançando, o victinho pedindo massagem para as pessoas, o diego beijando a gente ao término das terapias e outras coisas lindas que nossos autistas daqui da Amai Azul fazem. Então, o semblante de seu rosto amenizou ela sorriu e me pediu que agora lhe falasse como poderia tratar seu autista. Disse que sempre se recusou a aceitar, pois achava que os autistas eram uns monstros, que só batiam e mordiam as pessoas, viviam isolados, não entendiam nada e, como "seu autista" não era assim, apesar de na creche já terem sugerido isso, ela não aceitava o autismo. Fiquei pensando quantas mães, quantas famílias não possuem esses mesmos pensamentos equivocados. Expliquei para ela o quanto era difícil mas deixei claro que, com os tratamentos adequados, o autista dela a iria surpreender muito! Isso é apenas um retrato da nossa sociedade. As pessoas não conhecem o autismo. A maioria das mães, só postam nas redes sociais, as crises, as agressões de seus filhos e coisas que somente denigrem e detonam a condição de autista. Que autismo é luto, que é destruidor de sonhos, que acabou com suas vidas e a de seus filhos e coisas horripilantes. Eu entendo que é dificil, tenho dois filhos autistas. Mas sempre sofro muito e me irrito com este tipo de atitude. Afinal, diante de um autista, diante do autismo, ninguém vai lá no google, nas fontes de pesquisas, querer saber do que se trata. Quando o tema vier à tona, irão se basear no que nós mães e familiares de autistas passamos. Portanto, não adianta querer que as pessoas respeitem, aceitem, se nós mesmos não respeitamos nem aceitamos. Logicamente, que isso não justifica alguém usar autismo como adjetivo ou xingamento. Porém, é fundamental ter a consciência que isso ocorre em consequência de nossas próprias atitudes. Eu acredito e já comprovei com meus filhos e com os autistas que atendo aqui na associação, que todos autistas podem evoluir, se desenvolver! E penso que, não adianta defender o autismo, só quando alguém público, o utiliza de forma equivocada. Nem só nas redes sociais. Precisamos defender o autismo, os autistas todos os dias! Aliás, autismo não é pessoa para se amar, odiar, ter sentimento. É uma condição com a qual precisamos aceitar, lutar e transofrmar. Se todas as mães que hoje se manifestaram contra a tal da apresentadora, fizessem o mesmo, tivessem a mesma atitude quando as convocamos para lutar pelos direitos dos autistas, para participarem das passeatas, das audiências, nossos Direitos já seriam colocados em prática, haveria uma clínica escola em todas cidades. Me desculpem, não quero atingir, atacar ninguém. Apenas acho que nossa luta tem que ser diária e não ocasionalmente. Precisamos fazer e não só falar. Chega de mimimi! O tempo que perdem com essas coisas, dando ibope para pessoas malévolas e ignorantes deveriam utilizar para garantir melhores tratamentos, inclusão para nossos autistas.

Nossos parceiros: